quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Governo quer antecipar TV digital para 2015

Texto publicado em: Olhar Digital

Por: Stephanie Kohn

De acordo com Bernardo, a ideia é mudar o cronograma de digitalização da TV para começar a licitação da faixa de 700 MHz para redes 4G/LTE O ministro das comunicações, Paulo Bernardo, afirmou nesta quarta-feira, 21, que irá discutir com a presidente Dilma Roussef, em sua próxima reunião de agenda, a questão da TV Digital no Brasil.

De acordo com Bernardo, a ideia é mudar o cronograma de digitalização da TV para 2015 e, se possível, 2014. "Isto precisa ser aprovado pela presidente, mas queremos antecipar o desligamento em algumas localidades e atrasar em outras", comentou. O ministro acredita ser necessário uma revisão no calendário da TV Digital, pois a programação de desligamento para junho de 2016 pode ser problemática. "Fazer esta mudança de uma vez só pode se revelar um problema, porque existem lugares que estão mais atrasados e outros que já poderiam fazer a mudança", disse.

Caso o cronograma seja alterado, Bernardo acredita que o governo poderá começar a discutir a licitação da faixa de 700 MHz - atualmente usada pela TV analógica e que será destinada à rede 4G/LTE - no segundo semestre de 2013. TV analógica X 4G No Brasil, a TV analógica funciona em 700 MHz, frequência que em países como Estados Unidos é usada pelo 4G.

Aqui, a quarta geração ficará, inicialmente, na faixa entre 2.500 MHz (ou 2,5 GHz) e 2.690 MHz, mas isso pode não ser bom em termos de qualidade de serviço. "Quanto mais alta a frequência, maiores são as perdas de propagação, as ondas têm mais dificuldade para penetrar em edifícios ou viajar para mais longe", explica Eduardo Tude, presidente da consultoria Teleco. "Se a frequência é mais alta, as células são menores, então a frequência menor tem menos perda de propagação." Essa é uma das razões pelas quais as operadoras queriam operar o 4G nos 700 MHz, mas a faixa só será liberada quando os canais abertos migrarão de vez para o sinal digital, desligando a TV analógica.

Então pode ser que o 4G funcione em duas faixas diferentes, futuramente. "Enquanto não está livre, utiliza-se outras faixas, entre elas a de 2,5 GHz. Não dá pra trocar o sinal da TV pelo da telefonia, até porque há milhões de TVs com receptores, vai desligar todos? Não há alternativa, tem de esperar a TV digital se difundir", comenta Tude. Nosso país não está sozinho nessa faixa, pois Rússia, Áustria, Canadá, Colômbia, Dinamarca, Estônia, Finlândia, Alemanha, Hong Kong, Noruega, Arábia Saudita, Cingapura e Suíça também adotaram esse padrão. Além disso, boa parte dos celulares feitos na China - um dos grandes mercados da atualidade - usa as mesmas técnicas de transmissão de dados que o Brasil.

Nenhum comentário: