terça-feira, 1 de janeiro de 2013

Brasil deve passar Reino Unido em publicidade digital até 2014

Texto publicado em: PropMark


Estimativa do ZenithOptimedia coloca país na 5ª posição em investimento global

Foto: internet
 Mais uma pesquisa internacional reforça o potencial da exploração comercial da internet no Brasil, bem como da publicidade mobile. Segundo o novo levantamento do eMarketer, intitulado “Brazil digital ad spending: a growing consumer base lures marketers online” (“Gasto na publicidade digital do Brasil: uma base crescente de consumo atrai comerciantes on-line”, em tradução livre), o investimento local no digital vai dobrar novamente de tamanho até 2016, tendo como base os resultados de 2012.

O crescimento acelerado tem como explicação a crescente penetração da internet nos lares brasileiros, juntamente com a melhora das condições sociais e financeiras das famílias. Segundo dados do Ibope divulgados nesta semana, 94,2 milhões de pessoas já acessam a rede no país, se aproximando de 50% da população total (leia mais aqui). Tal movimento está levando, naturalmente, um número maior de anunciantes para os meios digitais.

O IAB Brasil (Internet Advertising Bureal Brasil) estima que o investimento em publicidade online será 13,7% do bolo total após os números consolidados de 2012, o que colocaria o meio online como o segundo mais importante — atrás apenas da TV aberta, que possui mais da metade da divisão. Ainda de acordo com o eMarketer, o Brasil chegaria ao fim de 2012 com US$ 15,5 bilhões investidos em publicidade online, número que subiria para US$ 20,3 bilhões ao fim de 2013. Nesse ritmo, segundo estimativas do ZenithOptimedia, as cifras colocariam o país na quinta posição globalmente até 2014, ultrapassando pela primeira vez o Reino Unido.

Mobile

Falando em investimento mobile, o Brasil também demonstra significativa evolução. O eMarketer classifica como “crescimento explosivo” o acontecido no país em 2011 e, para 2012, a estimativa de cifras consolidadas é de US$ 24,6 milhões — o que corresponderia a cerca de 1,2% do bolo total de investimento publicitário. Ainda de acordo com a pesquisa, a participação do meio continuará crescendo exponencialmente até chegar à fatia de 5% em 2016, totalizando US$ 198,3 milhões.

Nenhum comentário: