quinta-feira, 13 de junho de 2013

CRISE GERENCIAL DA MÍDIA FAZ REDE TV! AGONIZAR

Texto publicado em: Brasil 247 

Por detrás do estilo de vida nababesco dos sócios Amilcare Dallevo e Marcelo Carvalho, donos de imóveis dos sonhos no eixo São Paulo-Nova York, está uma emissora com dívidas fiscais estimadas em meio bilhão de reais; R$ 120 milhões estão em plena execução; cerca de 200 demissões entre funcionários são esperadas para os próximos dias; desconfia-se que dupla de patrões use empresa TV Ômega para faturar pessoalmente até R$ 1 milhão por mês em contratos com a própria Rede TV!; fornecedores reclamam falta de pagamento; dias atrás, Rede Record, do bispo Macedo, demitiu 400 empregados



247 – Mais uma crise gerencial na mídia está aflorando em praça pública. Logo após a Rede Record, ligada à Igreja Universal, do bispo Edyr Macedo, demitir cerca de 400 funcionários em sua área de produção no Rio de Janeiro, funcionários da RedeTV!, em São Paulo, esperam um corte em 200 postos de trabalho nos próximos dias. As demissões entram no capítulo das consequências da má gestão realizada pelos sócios Amilcare Dallevo e Marcelo Carvalho nos últimos anos.

Neste momento, de acordo com sindicalistas do setor de rádio e televisão, a Rede TV! acumula dívida fiscais superiores a R$ 500 milhões, do quais R$ 120 milhões já estão em fase de execução.

Exibindo estilos de vida de bilionários, Carvalho e Dallevo são casados com duas estrelas, uma atual e outra afastada, de sua própria emissora – as apresentadoras Luciana Gimenez e Daniele Albuquerque -, com quem dividem imóveis de sonhos no eixo São Paulo-Nova York. Eles obtiveram a concessão da antiga Rede Manchete, em 1999, depois de terem criado o sistema de arrecadação 0900 para a Rede Globo. Capitalizados, investiram cerca de US$ 250 milhões na modernização da emissora, mas a baixa audiência somada à compra precipitada de equipamentos de última geração provocou grandes rombos orçamentários.

Há suspeitas, entre os funcionários, de que os dois sócios usem uma empresa chamada TV Ômega para criar contratos de empregados terceirizados junto à própria Rede TV!. Por meio desse expediente, cada um deles conseguiria retirar mensalmente da emissora, nos últimos tempos, cerca de R$ 1 milhão. Uma forma encontrada para salvar a pessoa física enquanto a jurídica naufraga.

Muitos contratos em regime de CLT não estão com seus fundos de garantia recolhidos corretamente. Entre fornecedores, Dallevo e Carvalho também vão sendo vistos como devedores. Por trás do glamour que tentam colar às suas imagens vai transparecendo a marca de maus patrões.

Nenhum comentário: