sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Copa das Confederações: evento serve de laboratório para testes com tecnologia 4K

A FIFA, em parceria com  a Sony, realizou durante a Copa das Confederações 2013  testes de produção ao vivo  em 4K, os primeiros do gênero no mundo e com  bons resultados, segundo os seus  responsáveis. A Revista da SET esteve no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG), para conferir de perto estes testes.

Por Fernando Moura
Revisa da SET

A edição 2013 da Copa das Confederações realizada no Brasil, a TV  FIFA em parceria  com a  Sony, patrocinador  oficial do evento, produziu experimentalmente  durante o campeonato três jogos com tecnologia 4K para testar  a realização  ao vivo das partidas  na sede da HBS (Host Broadcast Services, empresa criada pela Fifa) instalada no Estádio Governador Magalhães Pinto, mais conhecido como Mineirão, em Belo Horizonte, Minas Gerais. O primeiro passo pensando na transmissão ao vivo de alguns jogos em 4K no próximo mundial de futebol.

A Revista da SET esteve  presente  no terceiro jogo realizado no dia 26 de junho de 2013, às 16h, entre Brasil e Uruguai pelas semifinais da competição.  Antes tinham sido realizados  outros dois jogos da fase de grupos que aconteceram  às 16h nos dias 17 e 22 de  junho,  com o Taiti enfrentando  a Nigéria e o Japão encarando o México, respectivamente.

Os testes  foram feitos  no Mineirão porque  nas  suas instalações  se estabeleceu o Centro Internacional de Co- ordenação  de Transmissão (IBCC, na sigla em inglês) na Copa das Confederações  2013 e desde  lá foi transmitido o sinal internacional  para emissoras  de mais de 200 países que adquiriram direitos de mídia da FIFA. Ainda ali foi realizado  o Controle de Qualidade de Produção  da HBS para a realização dos jogos.

Para a realização dos testes  de gravação e produção ao vivo de conteúdos 4K em tempo  real, foram usadas  sete câmeras Sony 4K PMW-F55, câmera da linha CineAlta 4K. O teste foi coordenado  por uma equipe de profissionais da Sony vindos do Japão, com operadores europeus e um caminhão de externa britânico. A visita foi propiciada e dirigida por Luiz Padilha, diretor de marketing e vendas  da área profissional da Sony Brasil, para quem os testes  foram um êxito. “Penso que com eles mostramos  que a tecnologia está pronta e podemos  avançar  para  a  transmissão”,  disse  Padilha  em entrevista  à Revista da SET no recinto destinado  às unidades  móveis da HBS no Estádio do Mineirão. “Ainda é cedo  para realizar  avaliações,  mas  recebemos broadcasters do mundo  inteiro  em Belo  Horizonte e  o  feedback deles  com respeito  à  estrutura  montada  para  captação  em 4K tem sido  muito positivo.  Há uma série de clientes  que  teriam  aplicações  de captação  ao vivo em 4K muito diferentes e que poderiam aproveitar a expertise da Sony para avançar com projetos neste novo sistema”, disse Padilha, para quem a “sensação é muito boa.  Claro que destes  testes  virão uma série de contribuições e pontos de vista de operação técnica que darão aos  nossos  técnicos  ajudas  importantes para  melhorar um produto  que esperamos que esteja disponível  até o final de 2013”.

Para Padilha, está na hora dos broadcasters entenderem que o 4K já não é só uma tecnologia para cinema ou para captação  de produções documentais ou ficção, mas sim pode ser utilizado para a captação  ao vivo. “O 4K vai explodir na televisão  em muito pouco tempo. Na Sony vemos que a indústria  do consumo vai fazer com que o 4K se instale porque já é viável ter TVs 4K a preços acessíveis, o que fará com que a demanda  de conteúdos em 4K aumente”. Carlos Paschoal,  gerente  geral  de marketing  da  Sony Brasil, reforçou as palavras  de Padilha.  “Este é  o  nosso grande teste para viabilizar o 4K ao vivo, queremos no ano que vem trazer a Copa do Mundo para dentro da casa dos brasileiros, com toda a tecnologia 4K possível”, afirmou.

Para o diretor  de TV da FIFA, Niclas Ericson, a  Copa das  Confederações  foi uma  oportunidade perfeita  para testar  novos métodos  de tecnologia  e produção  em 4K. “Estamos ansiosos  para ver como este torneio ajudará a moldar o futuro das transmissões esportivas”, comentou. Para Ericson, o importante  destes  testes  é o acervo de imagens,  já que,  segundo  ele, a tecnologia  4K permite que as empresas  de radiodifusão capturem imagens com definição  de altíssima  qualidade.  Os conteúdos podem ser armazenados e usados  de forma a atingir todo o seu potencial  nos  próximos  anos, quando  os aparelhos  de televisão vendidos nos mercados de consumo estiverem em conformidade com a última geração tecnológica.

Em comunicado,  a HBS afirmou que o “novo equipa- mento foi testado, o pessoal  foi treinado  e conceitos de produção  foram implementados. A produção  4K foi rigorosamente  testada em Belo Horizonte”, e “pode  desempenhar um papel inestimável para ajudar a FIFA, a HBS e outros interessados na preparação  para a Copa de 2014”.

Para a HBS, o mais importante  dos testes  é que a tecnologia 4K vai permitir que, em casa, os telespectadores possam ter “uma imagem verdadeiramente imersiva” que permite mostrar “vários níveis de primeiro plano e fundo, colocando os jogadores  e objetos  do campo em diferentes níveis de relevo”.
No comunicado,  a HBS reconhece  que  os testes  foram positivos mas que “ainda não está determinado se a produção  4K será implementada no Copa do Mundo de 2014. A produção 4K de eventos esportivos ao vivo ainda está em seus estágios  iniciais e uma série de problemas logísticos  continuam  a ser discutidos”  e  devem  ser resolvidos.  Assim, todos  os  envolvidos  no projeto  estão “extremamente  impressionados com o rápido desenvolvi- mento da tecnologia e produção associada” a ela.

No Mineirão, os engenheiros  da Sony, os responsáveis da TV FIFA e alguns dos engenheiros  da TV Bandeirantes e TV Globo consultados pela reportagem  da Revista da SET coincidiram em dizer que daqui para frente o maior desafio  é determinar como será realizada a transmissão do sinal e sua  posterior distribuição,  para  o qual  será preciso definir uma série de coisas que não tem a ver só com a questão tecnológica,  mas também  com decisões políticas e estruturais no país e no mundo que regulem este tipo de transmissão de sinal. Para Luiz Padilha, diretor de marketing e vendas  da área profissional da Sony Brasil, a tecnologia  4K esta  pronta para produções  ao vivo e a Copa de 2014.

Veja matéria completa em: http://www.set.org.br/artigos/ed134/ed134_pag54.asp

Nenhum comentário: