segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

TV 4K amplia contato entre marcas e consumidor

Nova geração de televisores tem atuação call-to-action e conteúdo exclusivo
Foto: divulgação

Texto publicado em: propmark

A influência da tecnologia e do digital deixou de afetar apenas o lado de fora da televisão. Desde o surgimento das smartTVs, no último biênio, os aparelhos começaram a engatinhar ao envolverem a mídia digital aliada às tradicionais transmissões de programação. Agora, com a ascensão da nova geração 4K, além de uma qualidade quatro vezes superior à do Full HD, os televisores também contarão com conteúdo exclusivo e ampliarão os pontos de contato com o consumidor.

Sensações da CES 2014 (Consumer Electronics Show), uma das maiores feiras de tecnologia do mundo, as TVs 4K oferecem muito mais do que resolução ultranítida. Foram cerca de 150 modelos lançados durante o evento e a nova geração deve terminar 2014 com 500 mil unidades vendidas, índice muito superior aos 60 mil de 2013.

No Brasil, algumas marcas já comercializam modelos com o primeiro estágio dessa tecnologia, mas ainda a preços astronômicos: independentemente do fabricante, uma TV 4K raramente sai por menos de R$ 10 mil, e está sendo considerada como o produto premium para ser comprado até a Copa do Mundo. De acordo com o eMarketer, 22,6 milhões de lares dos Estados Unidos contarão com uma smartTV até o final deste ano, o que representa 18,8% do total de lares telespectadores.

Conteúdo

O conteúdo deve ser privilegiado nessa revolução da televisão. Além da possibilidade de criação por parte do usuário, já que muitas smartTVs já possuem acesso às redes sociais, o sistema de serviços de streaming e vídeo on demand (VOD) terá um grande aumento com esse novo canal.

A LG anunciou durante a CES 2014 uma parceria com a Netflix para incluir o aplicativo em seu sistema. Algumas séries exclusivas da marca, como “House of Cards”, já são produzidas tendo em vista os parâmetros da nova tecnologia – que deve ficar restrita apenas aos televisores, uma vez que outras plataformas como smartphones, tablets, computadores e consoles de videogame podem não suportar o download ou streaming. Já a Samsung negocia com outros players além da Netflix, como Amazon, Comcast e M-Go.

Mesmo os tradicionais estúdios, como Warner Bros., 20th Century Fox, Discovery e Lionsgate, já se adaptam ao novo modelo de negócio e prepararam conteúdo específico na tecnologia 4K. O acesso também deve ser facilitado, uma vez que o sistema operacional presente nas smartTVs atuais já tem sucessor, com a chegada de uma nova geração.

Call-to-action

Mais do que apenas opções ampliadas para o telespectador e uma plataforma de compra de conteúdo via streaming ou VOD, as smartTVs podem efetivamente se tornar um canal de vendas para marcas de qualquer segmento. A primeira experiência deve ser feita por um varejista. A rede de lojas H&M usará o espaço publicitário comprado na transmissão do SuperBowl – final da liga de futebol americano e evento conhecido pelo altíssimo preço, audiência e repercussão na televisão – para veicular o primeiro comercial com a função de “t-commerce”, a venda direta por meio de comandos das smartTVs da Samsung.

A peça terá 30 segundos e será viabilizada pela empresa de tecnologia Delivery Agent, que tem como acionistas gigantes como Intel e Samsung. O produto escolhido para estrelar tal experiência também tem um embaixador popular: é uma coleção de roupas íntimas assinada pelo ex-jogador de futebol David Beckham.

Nenhum comentário: