About

gif_livro.gif

Professor lança livro em defesa da TV Aberta


 Com o objetivo de debater a relação entre a sociedade e a televisão, o Prof. Dr. Francisco Machado Filho, lançou o livro “Televisão Aberta no Brasil: que televisão queremos ter?”, publicado pela Editora Appris. 


Por: ACI FAAC


A obra analisa os importantes desafios que as novas tecnologias de distribuição de conteúdo audiovisual impõe à televisão brasileira e ao seu modelo de negócio. Para o autor, é importante compreender que a TV é um reflexo da sociedade e não o contrário. “À medida que a sociedade muda, a televisão também tem que mudar. Se não ela deixa de ser relevante para a sociedade”, defende. 

A redação do livro é resultado de uma pesquisa de doutorado concluída em 2011 e amparada por diferentes experiências ao longo de mais de 30 anos de carreira. “Comecei a trabalhar com vídeo em 1989, com a gravação de casamentos e festas e meu primeiro trabalho na TV foi em 1992, em Governador Valadares (MG),  em uma emissora educativa como cinegrafista”, relembra. Desde 2017, o Prof. Kiko, como é conhecido, divide suas atribuições entre a direção da TV Unesp e aulas nos cursos de graduação e pós-graduação da FAAC.


Pesquisadores da área da comunicação, televisão e novas mídias poderão se interessar em aprofundar seus conhecimentos sobre o atual modelo de financiamento das emissoras, ainda amparado no modelo de negócios da TV analógica, com comerciais de 30 segundos e que podem inviabilizar a estrutura de produção e distribuição de conteúdos pelas emissoras abertas. A pesquisa reúne diferentes bibliografias para refutar a ideia que a queda dos índices de audiência estão ligados apenas ao aumento do acesso à internet banda larga. O professor defende também a necessidade de proteger o sistema de radiodifusão brasileiro. 

“Ao meu ver, a Televisão Aberta deveria ser considerada, hoje, uma questão de segurança nacional. Se todos nossos dados pode ser coletados e usados para publicidade e propaganda na internet, a televisão aberta é o meio mais seguro, robusto e barato de se entregar conteúdo audiovisual para uma grande audiência. A televisão está presente em 96% dos domicílios do país. Uma internet de qualidade que atinja toda essa população está longe de ser realidade num país desigual como o Brasil e de proporções continentais”, destaca.

Consciente do desafio de defender a valorização da TV e a sua importância no desenvolvimento social, o professor destaca que a TV Aberta sempre teve uma tendência de produção de materiais ligados ao entretenimento e ao jornalismo. Por isso, o livro aborda entre os capítulos e com a colaboração de outros autores, a relevância das emissoras educativas, que ainda sofrem com a ausência de financiamentos para produzirem programas com a mesma qualidade e fundamentais para a divulgação da cultura e formação do cidadão.

Tv Aberta no Brasil: Que Televisão Queremos Ter?

Site para compra: https://www.editoraappris.com.br/produto/4477-tv-aberta-no-brasil-que-televiso-queremos-ter 


Postar um comentário

0 Comentários