segunda-feira, 30 de novembro de 2009

O crtl "C" e o crtl "V"

Semanas atrás, a denúncia de que alunos estão comprando monografias de uma senhora que não tem nem o ensino médio, movimentou o cenário acadêmico brasileiro. É possível isso? É possível que uma senhora tenha condições para dissertar sobre questões de Direito, Serviço Social, Educação Física e etc.? É claro que não. Então como ela consegue? A verdade é que os professores orientadores são complacentes nessa questão. Apenas alguns se dão ao trabalho de realmente corrigir e orientar seus alunos.

Qualquer um que já tenha ministrado aulas sabe muito bem reconhecer um texto de seus alunos. Um texto é como uma caricatura de seu autor. É possível reconhecer traços que identificam se determinado texto é de Chico Buarque, Luis Fernando Veríssimo ou do Joãozinho ou do Zezinho. Um professor sabe no ato da leitura se as palavras utilizadas pelo aluno pertencem mesmo ao vocabulário dele.

Mas o que mais me chamou a atenção é que um determinado professor estava utilizando um programa de computador que busca e reconhece palavras no texto e procura semelhança em outros textos na internet. É brincadeira? Eu que pensei que agora todos os professores seriam obrigados a ler o trabalhos dos alunos, não é que facilitaram o nosso lado?

Se eu como professor não preciso mais ler os textos dos meus alunos, por que o aluno deveria se dar ao trabalho de escrevê-lo? Basta aplicar o famoso Ctrl “C” e Ctrl “V”. Pena que ainda não inventaram um programa para descobrir professores coniventes com essa prática.

Um comentário:

Elisandra Monfardini disse...

Gente mas que blog mais chique esse hein? Adorei Kikito, parabéns! E os seus artigos eu acompanho semanalmente no jornal, super orgulhinho viu?
Beijos