quarta-feira, 11 de novembro de 2009

O rádio já não é o mesmo

Na terça-feira, 10 de novembro, parte do Brasil ficou as escuras devido a problemas técnicos na usina hidroelétrica de Itaipu. Isto já não é novidade. Porém, este fato seviu para demonstrar que o rádio já não é o mesmo, pelo menos as emissoras regionais de FM. Talvez tenham perdido um pouco de suas características devido à concorrência com a televisão, e agora, com a Internet. Mas, naquele dia, as rádios da região Noroeste do estado de São Paulo deixaram de prestar um serviço público que o rádio se prestava a fazer tão bem no passado.

Eu estava voltando de Frutal/MG em direção a Fernandópolis, quando próximo a São José do Rio Preto a energia caiu. Foi estranho ver a cidade inteira se apagar. Como estava no carro, liguei o rádio para ouvir informações. Foi aí que comecei a perceber que o rádio regional não está mais preparado para lidar com essa função (informar) inerente aos veículos de comunicação.

Apenas uma emissora estava no ar, pois possuia gerador próprio, mas, bem humorado, o locutor não tinha idéia do que estava acontecendo. Ele dizia: "estamos tendo um problema elétrico em nossa emissora, mas o nosso gerador já está funcionando e você que está em casa, no trabalho, não vai deixar de ouvir nossa programação". Como? Todos estavam sem energia. Passados mais de cinco minutos, foi preciso que um ouvinte, de seu carro, ligasse para a emissora e informasse o que estava acontecendo. Foi aí, que o bem humorado locutor, recorreu a Internet para colher algumas informações.

Bem, agora ele vai fazer um plantão, vai informar minuto a minuto o que está acontecendo, afinal, de dentro da emissora não havia como ele perceber que o tamanho do apagão, pensei eu. Que nada. Ele seguiu com a programação normal, tocando músicas de gosto muito duvidoso e apenas nos intervalos comerciais ele reportava o que lia na Internet, mas sem trazer informações mais profundas ou orientações, principalmente, para quem estava no trânsito como eu.

Depois de deixar a região de Rio Preto, perto de Votuporanga, consegui sintonizar outra emissora. Minha decepção ficou ainda maior. Esta outra, nem sequer tomou conhecimento do que estava se passando. Nada, nenhuma notícia, nenhuma informação. Só posso imaginar que o programa era gravado, mas era transmitido como se fosse ao vivo. Uma outra característica do rádio que se vai, as transmissões ao vivo.

Depois não reclamem se a Internet acabar com o rádio, com a TV e com os jornais. A culpa também vai ser nossa.

Nenhum comentário: